A qualidade final da impressão depende da combinação de diversas variáveis e tem momentos objetivos e técnicos, e subjetivos e estéticos. 

Focando no aspecto técnico: para resultados excelentes, precisamos de arquivos excelentes. E isto depende da qualidade da captura ( tipo de lente, foco, etc.) e no tipo de arquivo gerado ( número de pixels, profundidade de bits, compressão, resolução, edição, etc.)

A imagem digital é basicamente um enorme mosaico de pixels, então, de forma bem simplificada, quanto maior for o número de peças deste mosaico ( pixels) maior a sensação de resolução da imagem. 

Imagens com poucos pixels perdem suavidade nas transições tonais, podem apresentar efeitos negativos e não ter capacidade de ser impressas em grandes formatos. 

Não existe fórmula mágica, mas um bom fluxo de trabalho elege as melhores configurações possíveis da câmera e da edição. 

Usar arquivos não comprimidos como RAW, DNG, TIFF ou PSD aumenta a qualidade possível. 

No nosso tipo de impressão podemos ficar no modo de cor RGB. Espaço de cor Adobe RGB, arquivos não comprimidos, 16bits, 300 DPI no tamanho desejado são configurações bem robustas. 

Mas não se preocupe, oferecemos todo o apoio para tirar dúvidas sobre os arquivos e resolução.  Nosso objetivo é extrair o máximo de qualidade possível dos arquivos!